2 de dezembro de 2010

CATEQUESE

A graça é um dom sobrenatural que Deus concede para alcançar a vida eterna. A graça santificante nos faz filhos de Deus e herdeiros do céu. Os Sacramentos são sete:
1. Batismo; 2. Confirmação ou Crisma; 3. Eucaristia; 4. Penitência ou Confissão; 5. Unção dos enfermos; 6. Ordem; 7. Matrimônio.
Como resposta a graça dos Sacramentos que Deus nos concede , devemos corresponder da nossa parte com a ação própria, praticando o bem e evitando o mal e sempre procurando nos aperfeiçoar como cristãos.
1-Batismo
O Batismo é o Sacramento pelo qual renascemos para a graça de Deus e nos tornamos cristãos. O Sacramento do Batismo confere a primeira graça santificante, que apaga o pecado original e também qualquer pecado atual, se existir; perdoa toda a pena por eles devida; imprime o caráter de cristão; faz-nos filhos de Deus, membros da Igreja e herdeiros do paraíso, e torna-nos capazes de receber os outros Sacramentos. Batiza-se derramando água sobre a cabeça do batizando, ou, não podendo ser sobre a cabeça, sobre qualquer outra parte principal do corpo, dizendo ao mesmo tempo: Eu te batizo em nome do Pai e do Filho e do Espirito Santo.
2- Confirmação
A Confirmação ou Crisma é um Sacramento que nos dá o Espírito Santo, imprime na nossa alma o caráter de soldados de Cristo e nos faz perfeitos cristãos.
Os dons do Espírito Santo que recebemos na Confirmação são sete: 1. Sabedoria; 2. Entendimento; 3. Conselho; 4. Fortaleza; 5. Ciência; 6. Piedade; 7. Temor de Deus. Os frutos do Espírito Santo são: 1. Caridade, 2. Gozo, 3. Paz, 4. Paciência, 5. Benignidade, 6. Longanimidade, 7. Mansidão, 8. Fé, 9. Modéstia, 10. Continência, 11. Castidade.
3- Eucaristia
A Eucaristia é o Sacramento por excelência, pois é o próprio Corpo de Cristo entregue por amor de nós. É um Sacramento que, pela admirável conversão de toda a substância do pão no Corpo de Jesus Cristo, e de toda a substância do vinho no seu precioso Sangue, contém verdadeira, real e substancialmente o Corpo, Sangue, Alma e Divindade do mesmo Jesus Cristo Nosso Senhor, debaixo das aparências de pão e de vinho, para ser nosso alimento espiritual. O pão e o vinho tornam-se Corpo e Sangue de Jesus no momento da Consagração na Missa. Essa miraculosa conversão é chamada pela Igreja Transubstanciação . Depois da consagração já não fica pão nem vinho, mas ficam somente as respectivas espécies ou aparências, sem a substância. Há obrigação de receber a comunhão todos os anos pela Páscoa, e em perigo de morte como alimento para a "viagem" . Mas tamanha é a graça poder receber a comunhão que é ótimo comungar freqüentemente e até todos os dias, contanto que se faça com as devidas disposições. A Santa Missa é o Sacrifício do Corpo e do Sangue de Jesus Cristo, oferecido sobre o altar, debaixo das aparências do pão e do vinho, renovando o sacrifício da Cruz.
4- Matrimônio
O Matrimônio é o Sacramento instituído por Nosso Senhor Jesus Cristo que estabelece uma união santa e indissolúvel entre o homem e a mulher, e lhes dá a graça de se amarem mutuamente e de educarem cristãmente os filhos. Muito se diz sobre o descrédito do matrimônio nos dias de hoje, mas estes não vivem , ou não conhecem quem viva este sacramento sob a graça que Deus concede todos os dias aos casais. É preciso receber o Sacramento do Matrimônio em graça de Deus; se se recebe em pecado mortal, o Matrimônio é válido, mas comete-se um grave sacrilégio. O ministro do Sacramento do Matrimônio são os próprios cônjuges. Os fins do Matrimônio são a procriação e educação dos filhos, o amor e a ajuda mútua entre os esposos e o remédio da concupiscência. As propriedades do Matrimônio são a unidade e a indissolubilidade; isto é, deve ser de um com uma e para sempre. Para viver santamente, os esposos cristãos devem amar-se e guardar fidelidade um ao outro, receber os filhos que Deus lhes dê e educá-los cristãmente.
5- Ordem sacerdotal
A Ordem sacerdotal é o Sacramento que dá o poder de exercer os ministérios sagrados que se referem ao culto de Deus e à salvação das almas, e que imprime na alma de quem o recebe o caráter de ministro de Deus: Bispo, Sacerdote ou Diácono. O Sacramento da Ordem concede aos que o recebem um aumento da graça santificante, o caráter sacramental que lhes dá o poder para exercer as funções sagradas, e as graças para fazê-lo dignamente. As principais funções do Sacerdote são: celebrar a Santa Missa, administrar os Sacramentos e pregar a palavra de Deus. O sacerdote deve sempre ser tratado com respeito, pelo caráter do seu ministério, e com muito amor e amizade. Nunca deve ser esquecido que o sacerdote é um homem como qualquer outro com sentimentos e necessidades como qualquer um de nós. Vale a pena pensar se vemos o Sacerdote somente como um funcionário a nos servir ou como um homem, um amigo que dedica a sua vida exclusivamente a nós e a Deus.
6- Penitência

A Penitência ou Confissão é o Sacramento instituído por Jesus Cristo para perdoar os pecados cometidos depois do Batismo. É a forma amorosa de Deus possibilitar a nossa reconciliação com Ele e reabrir para nós o canal de Suas graças. São necessárias cinco coisas para uma boa confissão: 1. Exame de consciência (lembrar-se dos pecados cometidos); 2. Dor ou arrependimento dos pecados; 3. Propósito de nunca mais pecar; 4. Confissão ou acusação dos pecados; 5. Cumprimento da penitência. A Igreja ensina que, por direito divino, é necessário confessar individualmente todos e cada um dos pecados mortais, bem como as circunstâncias que mudam a espécie dos pecados; e que a confissão individual e íntegra, com a absolvição a cada penitente, permanece o único meio ordinário pelo qual os fiéis se reconciliam com Deus e com a Igreja, a não ser que a verdadeira impossibilidade física ou moral os dispense deste modo de confissão. Com a confissão freqüente, também chamada confissão de devoção, recomendada por todos os Papas, aumenta o conhecimento próprio, cresce a humildade cristã, eliminam-se os maus costumes, combate-se a tibieza e a indolência espiritual, robustece-se a vontade, leva-se a cabo a salutar direção das consciências e aumenta a graça em virtude do Sacramento.
7- Unção dos Enfermos
A Unção dos enfermos é o Sacramento instituído para alívio espiritual e também físico dos enfermos em perigo de morte. Os efeitos da Unção dos enfermos são: 1. aumenta a graça santificante; 2. apaga os pecados veniais e também os mortais que o enfermo arrependido já não possa confessar; 3. tira a fraqueza e languidez para o bem, que ainda fica depois de se ter alcançado o perdão dos pecados; 4. dá forças para suportar pacientemente o mal, resistir às tentações e morrer santamente; 5. ajuda a recuperar a saúde do corpo, se isso for útil à salvação da alma. A Unção dos enfermos deve ser conferida com todo o cuidado e diligência aos fiéis que, por doença ou idade avançada, estão em grave perigo de vida. E os familiares e os que assistem o enfermo têm a obrigação de procurar que receba a Santa Unção, se possível antes de que perca o conhecimento.
Fonte: www.catolicanet.com