17 de novembro de 2012

Cristãos-católicos seguem festejando Nossa Senhora dos Impossíveis


Iniciada no dia 11 de novembro, tem prosseguimento a 254ª Festa de Nossa Senhora dos Impossíveis, padroeira do Santuário de mesmo nome, localizado na Serra do Lima, a poucos quilômetros da cidade de Patu.
O evento seguirá até o dia 21, data em que será feriado no Município de Patu.
Depois de intensa peregrinação da imagem de Nossa Senhora dos Impossíveis por outras comunidades, a Igreja Matriz de Nossa Senhora das Dores (sede da Paróquia de mesmo nome, em Patu) receberá os romeiros e fiéis da Santa dos Impossíveis nesta quinta-feira, 15 de novembro, para missa e novena, no mesmo dia em que tradicionalmente é celebrada na Igreja Matriz de Patu a missa de curas e bênçãos.
Nesta sexta-feira, 16 de novembro, a Festa de Nossa Senhora dos Impossíveis voltará ao Santuário do Lima, onde as celebrações acontecerão até o dia 21, data de encerramento da Festa.
De volta ao Santuário do Lima, a Festa terá também uma programação sócio-cultural, sempre após as novenas, com jantar, música ao vivo e também leilão.

Reitor do Santuário explica formato da Festa
Quem tem acompanhado a Festa de Nossa Senhora dos Impossíveis nos últimos anos, ou mesmo quem tem visto a divulgação da sua programação nessas últimas edições, constata que logo após a abertura do evento, ele se expande para outras comunidades, saindo assim do Santuário do Lima, para onde retorna exatamente no seu sexto dia.
Em contato com o Blog, o reitor do Santuário de Nossa Senhora dos Impossíveis, padre Domingos de Sá Filho, informou que, dando buscas nos arquivos do Santuário, encontrou convites para a Festa confeccionados nos idos dos anos oitenta do século passado, e verificou que, naquela época, havia sido adotado este formato, que foi logo aprovado pelo padre-reitor.
Ainda segundo o padre Domingos, essa forma de realização da Festa de Nossa Senhora dos Impossíveis serve para irmanar ainda mais os fiéis de várias comunidades, bem assim para chamar a atenção de um maior número de romeiros para a realização do evento.
"Na Serra do Lima moram poucas pessoas. Então, é preciso levar à Festa a outras comunidades", disse padre Domingos ao Blog, apontando outra razão para atos litúrgicos da Festa aconteçam fora do Santuário de Nossa Senhora dos Impossíveis.
O padre-reitor destacou ainda que a peregrinação da imagem de Nossa Senhora dos Impossíveis por comunidades diversas é uma tradição que deve ser mantida.
Referente à novena realizada na Capela de Nossa Senhora das Graças, em Messias Targino, no dia 13 de novembro, dentro dos festejos alusivos a Nossa Senhora dos Impossíveis, padre Domingos disse que a comunidade messiense deu grande exemplo de fé e religiosidade, pois, segundo afirmou, faltaram espaços na Igreja, de tanta gente que foi à Igreja para participar da novena.

Fonte: Blog o Messiense