20 de outubro de 2013

Venham todos à escola da Sagrada Família!


O digno bispo de Bois­le­Duc escrevia: "Que todos venham contemplar o celeste modelo da Sagrada Família. Que venham os pais e os superiores, todos aqueles que têm alguma autoridade, a fim de aprenderem como devem agir e como podem conciliar, por sua missão, o respeito e o amor dos subordinados, e dirigi­los, sobretudo pelo exemplo, no caminho da virtude e do bem. Que venham os filhos e os que são dirigidos, a fim de aprender como devem cumprir seus deveres em relação aos seus pais e dirigentes, e a fim de compreender bem que esse é o mais belo ornamento e a maior felicidade, não na desordem e na satisfação das suas paixões, mas na verdadeira virtude e no cumprimento de suas obrigações."

E eu acrescento: Que venham os ricos, a fim de receber os grandes ensinamentos da simplicidade e da modéstia que, se colocados em pratica, lhes conduzirão generosamente ao serviço dos pobres. Que venham os pobres, os trabalhadores de todas as categorias e todos aqueles que experimentam sofrimentos e provações, e aprenderão a se conformar com sua situação, que jamais foi vista como indigna por Jesus, Maria e José; para santificar seus sofrimentos pela submissão à vontade de Deus, através do espírito de penitência e de oração. Que venham os pecadores, e em Jesus eles encontrarão um Salvador misericordioso; em Maria, uma mãe; em José, um refúgio. E que aprendam deles se distanciar da iniqüidade e a amar a virtude.

Venham também vocês, os justos. A Sagrada Família é efetivamente um espelho de justiça, e oferece um caminho de perfeição mais sublime que aquele dos anjos. Admirem, imitem e reproduzam este caminho nos pensamentos, nos sentimentos, nas palavras e nas obras. Desse modo vocês serão verdadeiramente o bom perfume de Jesus Cristo para os irmãos de vocês.
Gente encarnada no mundo, venham à Sagrada Família que, como vocês, viveu no mundo sem ser do mundo. Vocês aprenderão que, na condição específica em que vivem, vocês poderão adquirir uma perfeição muito elevada, pois Jesus disse a todos: "Sejam perfeitos como vosso Pai celeste é perfeito".

Sacerdotes, venham vocês também á escola do Sacerdote eterno; à escola de Maria, a rainha do clero; à escola de José, o guardião das virgens. Aprendam deles o distanciamento do mundo, a união com Deus, a oração permanente pela salvação do mundo, o amor à pureza, que faz a glória de vocês.

Venham religiosos de todos os sexos e de todas as Ordens. Se vocês se deixarem conduzir pelas virtudes da Sagrada Família ­ a pobreza, a castidade, a obediência, a concórdia e a paz ­ as casas de vocês se tornarão como uma nova Nazaré aos olhos dos anjos.

Venham, sobretudo, meus pequenos filhos, vocês que estão alistados no Instituto dos Missionários da Sagrada Família como religiosos e missionários aspirantes. Vocês estão colocados sob a proteção dessa Família divina, junto com aquele grande e divino Missionário enviado ao mundo para salvá­lo. Cresçam todos como Jesus, em idade e em graça diante de Deus e dos homens e sigam o modelo celeste que lhes é oferecido, e que o próprio nome lhes convida a reproduzir fielmente. Se, por parecerem impossíveis, as virtudes da Sagrada Família forem banidas deste mundo, que elas possam encontra asilo entre vocês. Ninguém mais que vocês devem levar a sério o dever de praticá­las e de dar exemplo a todos, a fim de que um dia vocês possam levar o bom perfume de Jesus Cristo através do mundo.

Convençam­se disso, pois esta é uma verdade segura: o ministério de vocês será tanto mais fecundo quanto mais vocês se aproximarem da pobreza, da pureza e da obediência da Sagrada Família. É para vocês que eu escrevi este pequeno livro. É uma lembrança e uma regra de vida que eu lhes deixo. Bem logo, sem dúvida, a morte me visitará e eu não poderei mais falar a vocês sobre os exemplos da Sagrada Família. Esse livro permanecerá com vocês. Ele recordará a vocês as minhas recomendações e lhes dirá aquilo que eu espero de vocês.

Os exemplos da Sagrada Família são o tesouro que eu deixo como herança. Mas este tesouro está enterrado, escondido em meio à terra e à rocha. Através da meditação, vocês deverão como que escavar o interior de Jesus, de Maria e de José a fim de descobrir todas as riquezas que ele esconde. Meditem sobre ele e vocês encontrarão sua beleza e grandeza, não apenas as virtudes que eu indiquei, mas todas as virtudes que farão de vocês verdadeiros religiosos e santos padres, capazes de formar outros e, quando Deus quiser, formar missionários de coração apostólico.

Pe. João Berthier ms (1906)

(Conclusão do seu livro Le culte et l'Imitation de la Sainte Famille, Paris: Maison de la Bonne Presse, 1906, p. 312­315. Tradução e título do Pe. Itacir Brassiani msf.)