14 de março de 2015

“O infortúnio de ficar sem luz”, reflexão para este domingo

Luzes e trevas são os dois opostos que aparecem no Evangelho deste quarto domingo da Quaresma. O texto está em Jo 3,14-21. Neste período em que atravessamos esta grave crise de abastecimento de água e de energia elétrica, temos sentido na pele a experiência desagradável de ficar sem luz. Quando falta a iluminação, ficamos perdidos até mesmo dentro de nossa casa. Corremos o risco de dar cabeçadas e tropeções, a qualquer momento podemos achar a quina da cadeira com o dedinho do pé ou amassar o nariz na porta que pensávamos estar a aberta. Não é nada agradável ficar sem luz…
Também na vida de fé… Mesmo que tenhamos de atravessar alguns períodos de penumbra, não podemos desacreditar da Luz de Cristo que está sempre em nossas vidas. Embora seja um rito simples, o momento de nosso Batismo em que pais e padrinhos seguram a nosso lado uma vela acesa no Círio Pascal tem um simbolismo maravilhoso. Significa que, mergulhados em Jesus, jamais seremos abandonados ou desamparados pela luz divina.
Nas ocasiões em que você estiver passando por dificuldade, medo e angústia, vou ensinar a você uma oração bem curta, mas muito confortante, que você pode rezar em voz alta ou repetir várias vezes mentalmente. E é assim: “Ó Luz do Senhor, que vem sobre a terra. Inunda meu ser, permanece em nós”. // “Ó Luz do Senhor, que vem sobre a terra. Inunda meu ser, permanece em nós”. Tenha certeza de que a Luz do Senhor jamais vai lhe abandonar!
Frei Gustavo Medella